PARATI GTI 16V

No início da década de 80, com a construção da nova fábrica da Volkswagen do Brasil em Taubaté (SP), a Volkswagen do Brasil deu início a produção da chamada Família BX, da qual nasceram os VW Gol, Voyage, Parati e Saveiro. A VW Parati (Station-Wagon) da família BX (com motor MD 1.5 - quatro cilindros em linha arrefecidos a agua). O início da produção da Parati ao mesmo tempo marcou o fim da produção da VW Brasília (1982) que era um sucesso absoluto de vendas tendo saído de linha no início desse ano com mais de 1 milhão de unidades produzidas.

 

Em meados dos anos 90 começava a produção da Parati GTI 2000 16V (Gran Turismo Injection = GTI) com injeção eletrônica multiponto. Uma característica curiosa do veículo (tal qual como o Gol) era o "calombo" no capô necessário para a acomodação do propulsor com as 16V. A versão de elevado valor, não teve bons números de vendas. Finalmente a Volkswagen começou a produzir a VW Parati na versão 4 portas, considera uma antiga reivindicação de seus consumidores, que, possivelmente, não havia sido ainda atendida por problemas estruturais na carroceria. Além da versão com motor 1.0 de 16V, Gol e Parati passam a ter como opcionais bolsas infláveis(airbags). Neste ano chamou a atenção no Salão de São Paulo a apresentação do conceito EDP II (sigla para Engenharia Desenvolvimento de Produtos e o "II" era uma referência ao EDP 200 de 1996), uma Parati estiliza com faróis de perfil baixo, com a reestilização da Geração III, linha 2000, como grade, capô e maçanetas.